Mês: junho / 2009

MORRE PINA BAUSCH, QUE REVOLUCIONOU A DANÇA< AOS 68 ANOS

Nos anos 70, Pina foi a criadora de novas formas e estilos no teatro de dança, que dez anos depois chegou a ter a mesma importância que o teatro dramático na Alemanha. No dia 25 de junho, segundo o Wuppertal, foi diagnosticado um câncer em Pina. Suspeita-se que esta tenha sido a causa de sua […]

ARAGUAIA: GOVERNO NÃO QUER ACHAR CORPOS, DIZ SOLDADO

Está na Folha de São Paulo:

Governo não quer achar corpos, diz soldado
Raimundo Pereira de Melo diz ter indicado o local onde estão dois guerrilheiros do Araguaia, mas busca foi feita em outros pontos

O ex-secretário de Direitos Humanos Nilmário Miranda rebate acusação e diz que todos os lugares indicados por Melo foram vasculhados

SERGIO TORRES
DA SUCURSAL DO RIO

Soldado que atuou na repressão à guerrilha do Araguaia, Raimundo Pereira de Melo, 55, indicou à Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência, em 2004, os locais onde estariam enterrados dois guerrilheiros em Xambioá (TO). Segundo ele, de forma deliberada, as buscas ocorreram em áreas diferentes das que apontara.
Pereira de Melo disse ter ficado claro não haver interesse do governo em encontrar os restos mortais de Osvaldo Orlando da Costa (Osvaldão) e Valquíria Afonso Costa. “Eu mostrei para o pessoal da Secretaria de Direitos Humanos e do Ministério da Justiça os pontos exatos das valas onde estavam os corpos dos guerrilheiros, uma ao lado da outra. As buscas aconteceram a 5 m dali. Eu mostrei isso a eles e não me deram atenção. Claramente não queriam achar nada”, disse.
As escavações na antiga base militar de Xambioá ocorreram em março de 2004. Pereira de Melo e os colegas Josian José Soares e Antônio Adalberto Fonseca foram levados ali pela Secretaria de Direitos Humanos para mostrar as covas.
Acompanhado por especialistas, o então secretário de Direitos Humanos, Nilmário Miranda, não localizou os restos mortais dos guerrilheiros que nos anos 60 e 70 foram enviados ao Araguaia pelo PC do B. Cerca de 60 deles constam da lista oficial de desaparecidos.
Da lista constam Osvaldão e Valquíria. Pereira de Melo diz que ficou vigiando por 16 noites a cova de Osvaldão, em 1974. Ao lado dele estaria sepultada Valquíria. “Existe um lado [do governo] que não quer mostrar. Eu falei para o dr. Nilmário que estavam escavando no ponto errado. Ele só me disse: “Tá ótimo Raimundo, é ali mesmo”. Vimos que era tudo uma palhaçada e fomos embora”, disse.

CINE CUFA COMEÇA HOJE: A FAVELA NA TELA

Gente, começa hoje o III CineCufa, que abre pela terceira vez a oportunidade de vermos e conhecermos trabalhos em cinema feitos por e com um outro olhar.

Com o objetivo de democratizar a Sétima Arte, o CineCufa é um festival internacional de cinema que exibe somente produções criadas por moradores e legítimos representantes das favelas do mundo, e não apenas das favelas do Brasil,

Realizado no Centro Cultural Banco do Brasil (Rio de Janeiro), entre os dias 30 de junho a 9 de julho de 2009, o festival realizará sua terceira edição.

Não foram só os facilitadores tecnológicos, como a câmeras digitais e de celulares, que impulsionaram os moradores das favelas a realizarem obras cinematográficas. Esta nova ordem estética e cultural nasce também da vontade e necessidade da periferia de ser protagonista de sua própria história e de expor seu ponto de vista, de retratar o mundo segundo sua própria ótica. O fator tecnológico, entretanto, foi a mola propulsora que alavancou mundo a fora cursos e oficinas de capacitação.

Desta renovação nasceu também o Núcleo de Audiovisual da Cufa, atuante como uma produtora de vídeo desde o ano 2000. Entretanto, além de produzir é preciso exibir. E por identificar esta lacuna no mercado de exibição a Cufa criou esta janela para difusão das mais diversas obras cinematográficas realizadas pela periferia.

Com isso, pretendem valorizar cada vez mais as produções dos cineastas de favela, bem como fomentar a construção de uma identidade que passe a atuar mais fortemente no mercado cinematográfico.

O CineCufa exibe obras com tema, gênero e duração livres, tendo como única prerrogativa para exibição da obra a atuação da favela como protagonista do projeto.

Como prova do crescimento do festival, na 2ª edição, tivemos como novidade o prêmio “Governo do Rio – Na Tela da Favela”, que se dividiu em dois quesitos: “Voto Popular” e “Júri Especializado”. A premiação serviu como incentivo a novas produções destes realizadores, que ganharam legendagem de seus filmes e equipamentos.

Isto comprova que o CineCufa está no caminho certo, dando visibilidade aos talentosos cineastas de favela, cujas obras normalmente não têm acesso às salas de exibição.

É a favela mostrando ao mundo seu pensamento, seu talento!

É a favela escrevendo sua própria história.

É um programaço.

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA O PRÊMIO USP DE DIREITOS HUMANOS

Prêmio USP de Direitos Humanos
29 de junho de 2009
Estão abertas, até 30 de setembro, as inscrições para a décima edição do Prêmio USP de Direitos Humanos. Os interessados em indicar candidatos podem comparecer à Comissão de Direitos Humanos da Universidade de São Paulo, no Centro Universitário Maria Antônia (Rua Maria Antônia, 294, Vila Buarque, São Paulo) ou inscrever-se pelo site da Biblioteca Virtual de Direitos Humanos, onde também pode ser encontrado o regulamento.

O Prêmio USP de Direitos Humanos foi criado por resolução em 1999 e visa a homenagear com troféu e diploma, anualmente, pessoas e instituições externas à comunidade acadêmica da USP que, com suas atividades, tenham contribuído significativamente para a difusão e divulgação dos direitos humanos, da paz, da tolerância e da justiça social no Brasil.

O prêmio é atribuído nas modalidades “Individual” e “Institucional”, como reconhecimento a estudos, pesquisas, ações concretas e atividades positivas. A premiação acontece em dezembro, em sessão solene na sala do Conselho Universitário.

Mais informações: (11) 3255-5538 / 3091-2209, email direitoshumanos@usp.br.

Este endereço de e-mail está sendo protegido de spam, você precisa de Javascript habilitado para vê-lo , site
www.direitoshumanos.usp.br

PARCERIA VAI QUALIFICAR 200 JOVENS NEGROS PARA CONCURSOS

Deu no jornal Feira Hoje:

Parceria vai qualificar 200 jovens negros de baixa renda para concursos

Capacitar a população baiana jovem, negra e de baixo poder econômico para a inserção no mercado de trabalho é o principal objetivo do Projeto Integrado de Ações Afirmativas: Formação para Concurso Público e Qualificação Socioprofissional, uma parceria entre a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), a Secretaria estadual do Trabalho, Renda, Emprego e Esporte (Setre) e o Fundo de Combate a Pobreza (Funcep), vinculado à Casa Civil da Presidência da República, assinada no mês de abril.

Com investimento de R$ 400 mil, oriundo dos governos estadual e federal, o projeto vai atender, inicialmente, 200 homens e mulheres, negros e negras, na faixa etária de 16 a 24 anos, provenientes do ensino público, através de um curso preparatório gratuito de capacitação e qualificação para concursos públicos de nível médio. Cabe a Uneb elaborar e executar todo o conteúdo pedagógico do curso, o qual será ministrado por uma equipe de docentes da universidade.

Com carga de 410 horas-aula, o curso conta com dois módulos divididos em eixos temáticos que vão desde a matriz curricular da educação básica, a exemplo de Matemática e Língua Portuguesa, até disciplinas de caráter lógico, de crítica sociocultural e específicas da área do Direito.

Os candidatos, que devem ser egressos do terceiro ano do ensino médio da rede pública estadual, serão divididos em cinco turmas: quatro na modalidade presencial e uma a distância, nos turnos matutino e noturno.

O processo seletivo será composto de três etapas, as quais serão divulgadas oportunamente pela universidade, através de edital público de seleção. A previsão é de que as inscrições sejam abertas no dia 1º de julho e as aulas comecem no início do mês de agosto. Mais informações no site www.uneb.br .

Fonte: ASCOM/UNEB

CARTAS DITAM AMOR ENTRE DETENTAS

JORNAL DO COMMÉRCIO – PE CIDADES 2009-06-29 09:25:33 Cartas ditam amor entre detentas O amor está no ar na Colônia Penal Feminina do Recife. Na única unidade prisional do Estado a permitir a visita íntima de pessoas do mesmo sexo, o relacionamento entre as detentas é inspirado através de cartas. Publicado em 29.06.2009 Em um […]

AMBIENTE ESCOLAR É DOMINADO PELO PRECONCEITO E A DISCRIMINAÇÃO – POR RAQUEL FERREIRA

As recentes pesquisas mostrando que, perigosamente, nossas escolas estão recheadas de todo tipo de preconceito, te3m rendido protestos e bons artigos, como é o caso do
Ambiente escolar é contaminado pelo preconceito e discriminação, de Raquel Ferreira,publicado em 29 de junho de 2009,pelo Brasil Contra a Pedofilia, que começa assim:

O preconceito e a discriminação são amplamente disseminados dentro da comunidade estudantil, que ao invés de discutir sobre a diversidade opta pela exclusão. A falta de debate e esclarecimento dentro das escolas perpetua a prática discriminatória histórica no Brasil. Uma pesquisa inédita sobre “Preconceito e Discriminação no Ambiente Escolar” mostra que os principais alvos são os negros e as pessoas com deficiência.

Das 18,5 mil pessoas entrevistadas (alunos, pais, diretores, professores e funcionários) em 501 escolas públicas de todo o país, 99,3% assumem ter algum tipo de preconceito em relação a portadores de necessidades especiais (96,5%), etnorracial (94,2%), gênero (93,5%), geração (91%), socioeconômico (87,5%), sobre orientação sexual (87,3%) e territorial (75,95%).

O texto completo você pode ler indo em
Artigos/pitacos

ONU CRITICA STJ POR ABSOLVER HOMENS QUE TRANSARAM COM MENORES

A polêmica da absurda absolvição de 2 homens ( um deles, é o ex-atleta campeão Zequinha de Abreu, vocês sabiam?)continua a repercuritr no mundo.

Ontem, ONU criticou STJ por absolver homens que tiveram sexo com menores

Reuters/Brasil Online

RIO DE JANEIRO (Reuters) – O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) criticou nesta segunda-feira decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de absolver dois homens acusados de exploração sexual de três adolescentes no Mato Grosso do Sul.

“Por incrível que possa parecer, o argumento usado é o de que os acusados não cometeram um crime uma vez que as crianças já haviam sido exploradas sexualmente anteriormente por outras pessoas”, disse o órgão da ONU em nota.

No dia 17 de junho, o STJ manteve sentença do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul (TJ-MS) e absolveu dois homens da acusação de exploração sexual de três adolescentes, alegando que “cliente ou usuário de serviço oferecido por prostituta não se enquadra no crime” de submeter criança ou adolescente à prostituição ou à exploração sexual, previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente.

ATÉ QUE A LEI OS APARE

Deu no jornal A Notícia:

CONSTITUIÇÃO GARANTE A IGUALDADE, MAS A FALTA DE ESPECIFICIDADE E AMPARO TORNA MAIS DIFÍCIL O COMBATE À HOMOFOBIA

“Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”, diz o começo do artigo 5º da Constituição brasileira, aquele em que são garantidos os direitos individuais, as liberdades de expressão e de pensamento. O trecho é amplo e detalhado, mas em nenhum dos seus 78 incisos está determinada qualquer proteção contra a prática de homofobia – a aversão a homossexuais ou à homossexualidade, na definição do dicionário “Aurélio”.

A proteção estaria implícita na genérica frase que abre o artigo: igualdade, sem distinção. A luta para tornar explícita na legislação brasileira o que a Constituição apenas insinua é longa, antiga e se estende pelas três esferas de poder. Na última década, leis contra a homofobia foram colocadas em discussão e até aprovadas na Câmara de Joinville, na Assembleia Legislativa catarinense e no Congresso Nacional. Mesmo assim, o preconceito e a discriminação contra gays, lésbicas, travestis e transgêneros segue sem qualquer forma de punição específica.

Em Joinville, a Câmara aprovou no final do ano passado a lei que transformou a data de 28 de junho em Dia Municipal de Combate à Homofobia. A lei foi um das primeiras a ser sancionada pelo prefeito Carlito Merss (PT), em fevereiro, e não traz nada além da criação da data comemorativa. Na carona da lei, o governo petista criou a Semana da Diversidade, que dividiu as opiniões dos joinvilenses e tem como ponto alto a realização da primeira parada do orgulho gay da cidade.

A VERSÃO ANTIHOMOFÓBICA DO FUCK YOU

homofobia! (Legendado)

Campanha da GayClic da França contra a homofobia! (Legendado)

Fodam-se, homofobicos

Marcia de AlmeidaMARCIA DE ALMEIDA, responsável pelo site, é jornalista, escritora, roteirista...
saiba mais
ABI Newsletter Planeta Educa��o Acesso de Humor